Manejo da paisagem por populações litorâneas e conservação da agrobiodiversidade

Show simple item record

dc.contributor.author Altafin Cavechia, Laura
dc.date.accessioned 2013-05-29T15:16:04Z
dc.date.available 2013-05-29T15:16:04Z
dc.date.issued 2011
dc.identifier.uri http://hdl.handle.net/10625/51235
dc.identifier.uri http://umanitoba.ca/institutes/natural_resources/canadaresearchchair/thesis/Cavechia2011.pdf
dc.description Resumen en inglés incluido es
dc.description.abstract A partir do Holoceno, populações humanas com estilo de vida de caçadores e coletores passaram gradativamente se constituir em comunidades sedentárias cada vez mais complexas. Diante dessa realidade, inicia-se o desenvolvimento de técnicas de cultivo cada vez mais elaboradas e adaptadas ao meio natural em que essas populações estavam inseridas. A mandioca (Manihot esculenta Crantz) passou a ser um importante recurso tendo histórico de uso iniciado nas terras baixas da América do Sul. Seu manejo está associado ao sistema milenar de agricultura itinerante, que ainda está presente em comunidades ao longo da costa litorânea do Brasil. Sabe-se da importância do manejo dado à mandioca o qual resulta na conservação e até mesmo no aumento da diversidade intraespecífica, assim como consequentes transformações na paisagem local. Diante disso, o estudo tem como objetivo caracterizar e analisar como a agricultura itinerante exerce influência tanto na estrutura da composição da paisagem de restinga local como na diversidade intraespecífica de mandioca em comunidades litorâneas em dois estados brasileiros. A área de estudo se limitou às comunidades do estado do Rio de Janeiro, no município de Paraty como no estado de Santa Catarina, no município de Imbituba. Durante a coleta de dados, foram utilizados métodos ecológicos e etnobiológicos como estratégia que combinasse dados quantitativos e qualitativos. Dentre os informantes chave em cada região, foi possível identificar as etnovariedades que atualmente estão sendo utilizadas, assim como compreender a importância não só do manejo, mas da rede social estabelecida entre eles. A estrutura em redes de trocas de variedades favorece a manutenção e amplificação das diferentes variedades locais. Em relação às diferenças no tipo de manejo desse sistema quanto ao período de pousio das áreas de uso, se infere diferentes transformações da paisagem, segundo composição e estrutura da vegetação local de restinga. Por fim, observa-se que as problemáticas encontradas quanto à continuidade das práticas desse sistema agrícola aproximam as duas regiões de estudo, inclusive quanto às ameaças a diversidade das etnovariedades de mandioca estudadas. Com isso, vê-se a importância de compreender o contexto histórico e cultural dos locais de cultivo e também de analisar os processos ecológicos que estão ocorrendo dentro das comunidades e na paisagem, a qual é resultado dessa interação homem e meio natural. es
dc.format Texto es
dc.format.extent 1 fichero numérico (132 p. : il.) es
dc.format.mimetype Application/pdf
dc.language.iso pt
dc.publisher Departamento de Ecologia e Zoologia, Universidade Federal de Santa Catarina en
dc.subject AGRICULTURA ITINERANTE es
dc.subject ETNOVARIEDADES es
dc.subject MANIHOT ESCULENTA CRANTZ es
dc.subject RESTINGA es
dc.subject DIVERSIDAD BIOLOGICA es
dc.subject CONSERVACION DE LA NATURALEZA es
dc.subject PROTECCION DE LAS COSTAS es
dc.subject DESARROLLO DE ZONAS COSTERAS es
dc.subject PROTECCION DEL PAISAJE es
dc.title Manejo da paisagem por populações litorâneas e conservação da agrobiodiversidade es
dc.type Thesis en
idrc.project.number 104519
idrc.project.componentnumber 104519004
idrc.project.title International Research Chairs Initiative (IRCI) en
idrc.dspace.access IDRC Only en
idrc.rims.adhocgroup IDRC SUPPORTED en
dc.description.degree Master's degree
dc.contributor.department Departamento de Ecologia e Zoologia, Universidade Federal de Santa Catarina
idrc.recordsserver.bcsnumber IC01-3412-127


Files in this item

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record